quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

LEMONed Shop: uma loja em Harajuku para os fãs de J-Rock

Continuando o relato sobre o passeio em Harajuku, neste post irei comentar sobre uma loja específica que visitamos na Takeshita Dori: A LEMONed Shop, loja da grife criada pelo músico japonês hide (o nome é estilizado com h minúsculo mesmo). A visita a essa loja deu início a uma série de eventos relacionados ao rock japonês (rotulado de forma genérica no ocidente como “J-Rock”) no roteiro da viagem, mas, antes do relato, vamos a um pouco de história:

Sou fã de J-Rock desde meus anos de ensino médio – ano 2000 para ser mais exato -, quando um amigo nissei me apresentou alguns CDs de bandas como L’Arc~en~Ciel, GLAY e X Japan. Desde então foi uma descoberta atrás da outra, motivado pelas sonoridades diferentes, pela qualidade das músicas e, em alguns casos, pelo visual inusitado dos artistas. Logo fiquei fã de um artista que reunia todos esses pontos: hide - guitarrista, e posteriormente cantor, que fez fama por lá na década de 90 e, mesmo quase 20 anos após sua repentina morte, ainda hoje tem muitos fãs espalhados pelo mundo, graças ao poder da Internet.

Hideto Matsumoto, ou simplesmente "hide"


Quem foi hide?

hide fez fama inicialmente como guitarrista do X Japan, uma das bandas pioneiras do estilo visual kei, que é descrito por muitos como uma versão japonesa do glam metal dos anos 80. As bandas desse estilo misturavam rock pesado e dançante com um visual extravagante, trazendo muita influência do teatro kabuki, em que homens com maquiagem representavam também os papéis femininos. Apesar de o X Japan ser liderado pelo baterista e pianista Yoshiki, que escrevia praticamente 99% das músicas, hide se destacava por contribuir sempre com ideias de arranjos, tendo escrito também algumas canções impactantes para o repertório da banda, como Scars, Celebration, Joker e Miscast.


Seu cabelo cor-de-rosa e extravagante lhe rendeu o apelido “Pink Spider”, que acabou se tornando o título de uma das músicas mais conhecidas de sua carreira solo (vídeo abaixo), onde cantava e escrevia todas as músicas, além de gravar as guitarras e linhas de baixo da maioria. Essa carreira solo teve início em 1993, após alguns anos amadurecendo como artista dentro do X Japan, porém trazendo um som mais moderno e experimental, resultando no estilo Psyborg Rock, como foi descrito na época.




Em sua breve carreira solo, hide gravou dois álbuns muito sólidos e criativos: Hide Your Face (1993) e Psyence (1996) – ambos recomendados para quem quiser se aventurar nesse período tão representativo do rock nipônico. Além dessa discografia, hide gravou cinco álbuns com o X Japan e ainda arrumou tempo para fundar a banda Zilch, com letras em inglês, em parceria com alguns músicos britânicos (vide post anterior). Com esse projeto, hide poderia ter sido o primeiro representante do visual kei a despontar no ocidente, mas infelizmente ele faleceu antes do lançamento do álbum, em circunstâncias misteriosas, em 1998. No mesmo ano, foi lançado um álbum póstumo solo intitulado Ja, Zoo, com músicas que estavam sendo gravadas pouco antes de seu falecimento. Desde então, continuam sendo lançadas eventualmente músicas de hide a partir de sobras de estúdio. A última foi a música Co Gal, com o vocal construído totalmente do zero utilizando o software Vocaloid, a partir de uma demo precária deixada pelo artista (!). Coisas do Japão...


O que é LEMONed?

hide não parava quieto em meio a tantos projetos. Em 1996, paralelamente às gravações da banda Zilch e ao lançamento de seu segundo álbum, Psyence, ele lançou um selo independente chamado LEMONed, para lançar novas bandas no mercado japonês. O projeto também teve uma “música tema” escrita por hide, LEMONed I Scream, que fala sobre se sentir atraído por “sabores” exóticos. Na verdade, hide homenageava com essa canção uma banda descoberta por ele chamada Zeppet Store, que acabou sendo a primeira a ser lançada pelo selo. O projeto LEMONed também incluía uma coleção de roupas e acessórios com conceitos criados pelo próprio, com duas lojas em Tokyo – uma em Shibuya e outra em Harajuku.

Com a morte do criador dois anos depois, o selo acabou não tendo muitos lançamentos, mas a grife existe ainda hoje, mesmo que apenas através da loja online e da única loja física remanescente, a de Harajuku. Essa modesta loja no segundo piso de um pequeno prédio na Takeshita Dori na verdade é um pedaço remanescente de toda essa história que contei acima, e – por que não dizer? – da história da música japonesa contemporânea. Nela, continuam sendo vendidos itens diversos produzidos a partir de designs do próprio hide, de elementos de suas letras e videoclipes ou das roupas que ele usava nos shows.

A felicidade da criança...








A loja não é nenhum hide Museum (museu que existiu de verdade por alguns anos após sua morte), mas não deixa de representar um pequeno museu para quem é fã. Videoclipes do hide passam em loop em monitores (com o som ecoando pela loja, é claro) e há referências à sua obra por todos os lados, seja nos pôsteres colados nas paredes ou nos detalhes dos itens à venda – muita coisa, incluindo garrafas térmicas (opção muito popular de presente no Japão), itens de escritório (ou “stationery”, outra mania japonesa), chaveiros, roupas, livros e revistas e objetos de decoração.

O hide Museum ficou de pé em Yokosuka, cidade natal de hide, de 2000 a 2005

Confesso que foi difícil escolher e segurar a carteira. Mas consegui sair com um agasalho no estilo dos que foram usados no clipe Rocket Dive (entendedores entenderão...), após a mocinha simpática da loja ter ido procurar um exemplar do meu tamanho no estoque (arigato gozaimasu!), dentre outras coisinhas que deixaram um fã old school muito feliz.

O doloroso momento de abrir a carteira...

"Bota na conta do Papa..."

Outro detalhe muito especial da loja é a pequena exposição de roupas originais de hide, usadas por ele em shows ou gravações. Essa foi a cereja (ou sakura?) do bolo.

Roupas originais usadas por hide (comprei um agasalho como este, mas em cor menos chamativa :P)

Encerro o post com um vídeo que gravei mostrando uma “panorâmica” da loja. Se você ficou interessado em conhecer mais sobre hide, confira os links relacionados mais abaixo. BREAK OUT THE ROCK (entendedores entenderão, novamente...)!




Saiba mais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário